Gorjetas pelo mundo: em que países dar e como fazer


Assim funcionam as gorjetas nos diferentes países do mundo.

Tal como acontece em muitas outras situações, durante as viagens, se não quiser passar um mau momento em restaurantes ou táxis no seu destino, tenha em consideração que existem países em que é muito recomendável deixar gorjeta e outros onde esta é mesmo obrigatória. O principal motivo é que esta quantidade é importante para completar o salário do empregado. No entanto, e mesmo que não acredite, existem destinos onde não existe o costume de deixar gorjeta, sendo até mesmo um ato mal visto.

Embora as gorjetas sejam voluntárias em muitos países do mundo, uma das pequenas despesas em que não é recomendável economizar é a do seguro de viagem. Mesmo que às vezes seja obrigatório, este produto é um ótimo investimento para as suas escapadinhas, já que evitará pagamentos importantes ante diversos problemas típicos das viagens, como a necessidade de ir ao médico, gastos de comida ou hotel se o seu voo se atrasar ou compras de primeira necessidade, caso perca a mala.


Como já dissemos, existem países onde a gorjeta vem incluída na conta e, por outro lado, outros países onde a gorjeta é uma falta de educação

Além disto, existem outros países onde a gorjeta funciona como em Portugal, ou seja, à vontade do cliente, o qual deixa moedas a mais ou arredonda a conta para cima.


Como dar gorjeta na Europa?

Gorjeta na Alemanha.
A gorjeta na Alemanha equivale a 5% ou a 10% do preço total. Se pagar a conta em numerário, a propina é dada ao empregado. Se pagar com cartão, deverá dizer ao empregado quanto quer pagar.

Gorjeta na Áustria.
A gorjeta na Áustria costuma ser dada aos empregados -em mão- e aos taxistas. É costume dar entre 10% e 15% a mais ou arredondar para cima e não solicitar troco.

Gorjetas na Dinamarca, Noruega e Suécia.
Não é comum deixar gorjeta nos países escandinavos. Apenas os clientes de bares e restaurantes que ficarem muito satisfeitos com o serviço ou comida entregam entre um 5% e um 15% do total da conta ou arredondam para cima. O mesmo acontece nos táxis.

Na Dinamarca não é costume esperar gorjetas, pois o serviço está incluído nas tarifas de hotéis, restaurantes e táxis.

Gorjetas na Finlândia e Islândia.
A gorjeta na Finlândia e Islândia não é necessária, visto que a conta já inclui tudo e os empregados costumam ser bem pagos.


Gorjetas na França.
A gorjeta na França vem incluída nas contas de bares e restaurantes. No ticket aparecerá um incremento de 15% em "Service Compris", que se costuma dividir entre os empregados. Se ainda assim quiser deixar gorjeta ao empregado pelo bom serviço, entregue entre um 5% e um 10% a mais.

Gorjetas na Grécia. 
Mesmo que não seja obrigatória, a gorjeta na Grécia costuma ser dada em serviços como restaurantes, táxis, guias turísticos -sobretudo em grandes grupos- e hotéis. No caso de negócios de hotelaria, confirme a conta para confirmar se a gorjeta está ou não incluída na quantidade a pagar.

A gorjeta nos restaurantes gregos costuma ser entre 5% e 10% do total. Mesmo que venha incluída na conta, há quem deixe uma gorjeta extra pelo bom atendimento.

Os taxistas estão muito habituados a que viajantes, sobretudo se forem turistas, lhes deixem uma gorjeta. O normal é arredondar a conta final para que o taxista não tenha que dar troco.

Gorjetas na Holanda.
Se quer deixar gorjeta nos Países Baixos, deverá saber que a conta já inclui um gasto adicional de 15%.


Gorjetas na Hungria.
Se quer saber como funciona a gorjeta na Hungria, tenha em conta que existem estabelecimentos que já a incluem na factura como taxas de serviço, aumentando o preço da mesma entre 10-15%. Se quiser deixar gorjeta, dê diretamente ao empregado.

Se vai pagar com cartão, existem negócios que dão a opção de escolher quanta gorjeta quer dar.

Gorjetas na Itália.
A gorjeta na Itália é totalmente voluntária. Ou deixa uns euros após o pagamento da conta ou indica que não se quer o troco.

Gorjetas na Polónia.
Às vezes a gorjeta na Polónia está já incluída na conta, sobretudo se a mesa tiver mais do que 5 ou 6 pessoas. Normalmente é entre 5% e 10%. Se o restaurante não incluir a gorjeta na conta e quiser deixar, pague um 5% ou 10% a mais.


Gorjetas em Portugal.
A gorjeta em Portugal também é opcional em bares e restaurantes. O costume é arredondar a conta para cima ou deixar o troco.

Gorjetas no Reino Unido.
A gorjeta no Reino Unido costuma representar um 10% e vir diretamente na conta, acompanhada com o termo de "service included". Isto acontece nos bares e restaurantes onde o empregado serve à mesa. Se pagar com cartão ou se a taxa não aparecer no ticket, indique ao empregado a quantidade de gorjeta que quer pagar para evitar que este coloque a quantidade que quiser.

Se achar que não recebeu o atendimento adequado, pode negar-se a pagar a gorjeta. Se está muito satisfeito, pode pagar mais do que esse 10% recomendado.

Gorjetas na República Checa.
É costume deixar gorjeta na República Checa, sobretudo nos estabelecimentos que servem à mesa, sendo que às vezes esta vem incluída na conta. Costuma representar um 10-15% do total da conta. Se a gorjeta não vier indicada na conta, dê ao empregado a quantidade adequada de coronas em mão. Também é normal dar gorjeta aos taxistas e guias turísticos.


Gorjetas na Roménia.
Deixar gorjeta na Roménia a empregados ou taxistas é também voluntário. Se quer agradecer o serviço prestado, entregue um 10% de leu, a moeda oficial da Roménia.

Gorjetas na Rússia.
Proibidas durante o regime comunista, na atualidade as gorjetas na Rússia ficam à vontade dos clientes em bares e restaurantes. Geralmente, a quantidade de rublos a entregar varia entre um 5% e 10% do total da conta. Alguns restaurantes turísticos estão a começar a incluir uma taxa por serviço na conta.

Gorjetas na Suíça.
A gorjeta na Suíça é incluída por lei nas contas dos cafés e restaurantes. Representa um 15% do preço do que for consumido. No entanto, sobretudo em restaurantes de luxo, é costume dar uma gorjeta adicional.

Gorjetas na Turquia.
É típico deixar gorjeta nos restaurantes da Turquia. Basta que esta represente entre 10% e 15% da conta. É melhor dá-la ao empregado em mãos.


A gorjeta dos países mais visitados da América.

Gorjetas na Argentina.
Relativamente à gorjeta na Argentina, o adequado é deixar um 10% nos restaurantes. Aos taxistas também é costume entregar uma quantidade superior à tarifa marcada devido ao arredondamento.

Gorjetas no Brasil.
A gorjeta no Brasil já vem incluída na conta. É cobrado um 10% pelo serviço. Os empregados de bares e de outros negócios turísticos costumam receber gorjetas adicionais.

Gorjetas no Canadá.
A gorjeta no Canadá também é quase obrigatória, devendo deixar aproximadamente um 15% do total da conta. Se for em numerário, melhor.

Gorjetas no Chile.
Embora a gorjeta no Chile não seja obrigatória, alguns restaurantes incluem no ticker uma cobrança pelo serviço de pelo menos um 10%, no entanto, por lei o cliente pode reclamar e não pagá-la.


Gorjetas em Cuba.
A gorjeta em Cuba já foi proibida, no entanto, hoje em dia é habitual deixar um 10%.

Gorjetas nos Estados Unidos da América.
A quantidade a pagar de gorjeta nos EUA oscila entre 15% e 20% do custo do serviço, embora esta quantidade possa variar em função do estado que visite. Se a gorjeta não vier incluída na conta, que é o habitual, também se deverá pagar.

É habitual cobrar a gorjeta na maioria dos serviços (táxis, restaurantes, etc.).

Gorjetas no México.
Não deixar gorjeta no México é algo considerado de muito mau gosto. Apenas ter recebido um serviço muito mau -o ideal é comunicá-lo ao encarregado- justificaria não pagar gorjeta.


Como dar gorjeta na Ásia?

Gorjetas na China.
Deixar gorjeta na China é mal visto, exceto nas regiões de Hong Kong e Macau, onde se costuma pagar um 10% a mais. Os guias turísticos que acompanham o viajante durante muitas horas também costumam receber gorjeta.

Outros países onde deixar gorjeta é considerado um mau gesto são o Paraguai e Singapura. No Paraguai podem vê-la como um suborno e na Singapura já foi proibido pela lei.

Gorjetas na Índia.
É recomendável deixar gorjeta na Índia, pois representa uma parte importante do salário dos empregados. Costumam ser 10% do total da conta.

Os guias turísticos e empregados de hotel também esperam uma gorjeta em mão. Os táxis costumam incluir a gorjeta no importe a pagar. Já nos tuk-tuk é pago após acordar um preço em função do trajeto, pelo que ao final do serviço se podem dar algumas rupias de gorjeta ao condutor.


Gorjetas nas Filipinas.
A gorjeta nas Filipinas costuma estar incluída nas facturas de restaurantes e hotéis. É cobrado entre um 10% e um 15% do total.

Gorjetas na Indonésia.
A gorjeta na Indonésia já está incluída na conta dos restaurantes, no entanto, nas zonas turísticas existem viajantes que premeiam o bom serviço com um 5% ou 10% adicional ao total da factura, também a taxistas e condutores particulares.

Gorjetas no Japão.
Na cultura japonesa não existem gorjetas. Por isso, não será necessário deixar gorjeta no Japão. O empregado sentir-se-á ofendido se tentar dar-lhe alguns yenes a mais ou se recusar o troco.

No entanto, os guias turísticos ou condutores privados que recebem muitos turistas ocidentais se calhar vêem a gorjeta de uma melhor maneira.

Gorjetas na Tailândia.
A gorjeta na Tailândia é muito habitual entre os turistas, que costumam deixar alguns baths aos empregados e taxistas, sobretudo se percorrerem zonas de difícil acesso. O mesmo não acontece com os tuc-tuc, cujo preço é fixado previamente em função do itinerário.


Aprenda como dar gorjetas em alguns destinos de África.

Gorjetas em Marrocos.
Existe o costume de deixar gorjeta em Marrocos nos restaurantes, táxis, guias turísticos e outros empregados de serviços. Arredondar a conta para cima ou dar um 10%-15% do preço total é suficiente.

Gorjetas no Egito.
A gorjeta no Egito é um costume de longa data e é necessário respeitá-lo. Costuma ser pedida por todas as pessoas que prestam um serviço. Tenha em conta que os salários dos trabalhadores no Egipto são calculados em função da baksheesh -término utilizado pelos egípcios para a gorjeta-, para não falar dos empregados para os que esta é a sua única fonte de ingressos. Por isso, deverá dar gorjeta a quem o levar até ao quarto, ao rececionista, ao empregado de mesa, aos trabalhadores das mesquitas, taxistas, condutores, etc. A quantia da gorjeta no Egipto varia em função do custo do serviço, oscilando entre 1 libra e 120 libras. Para quem prestar um serviço breve, serão suficientes entre 10 e 30 libras.

As gorjetas também são um costume de longa data noutros países africanos, como na Tunísia e na África do Sul.


Assim funcionam as gorjetas na Oceânia.

Gorjetas na Austrália.
Dar gorjeta na Austrália é opcional. Os empregados do setor dos serviços são bem remunerados e não é necessária gorjeta como complemento salarial. No entanto, se receber um bom serviço e quiser premiar o empregado com uns dólares australianos, será suficiente entregar 10% do total da conta.

Gorjetas na Nova Zelândia.
A gorjeta na Nova Zelândia é totalmente opcional. Os empregados do setor dos serviços são também bem remunerados, não sendo necessária a gorjeta para complementar o seu salário. Ainda assim, se quiser deixá-la, some entre um 5% e 10% ao total da conta.


Tal como as gorjetas, o transporte, o alojamento ou as comidas, deverá prever outros possíveis gastos durante a sua viagem, como os derivados de incidências típicas que acontecem em viagem: visitas ao médico ou hospital, compra de produtos de primeira necessidade devido ao atraso de um voo ou perda de bagagem, perda de noites de hotel devido a um regresso antecipado a casa, etc.

Para poupar estes e outros possíveis gastos é necessário adquirir um seguro de viagem com assistência 24 horas como o Totaltravel da InterMundial. Tenha em conta que existem destinos onde a assistência médica é muito cara e outros onde é necessário acudir a hospitais privados para ter um atendimento médico de qualidade.

Utilizamos cookies para te proporcionar a melhor experiência possível. Mais info.

fechar