Quanto custa a assistência médica no estrangeiro?


Ir ao médico no estrangeiro: quando custa?

Uma das principais preocupações de quando viajamos ao estrangeiro é ficar doente, mas sabe quanto poderá custar a assistência médica no estrangeiro? Tenha em conta que nem todos os países têm um sistema sanitário gratuito e universal como o português e é por isso que as autoridades como o Ministério de Negócios Estrangeiros recomenda encarecidamente contratar um seguro de viagem com uma ampla cobertura de gastos médicos.

Como veremos em seguida, os preços da assistência médica no estrangeiro são elevados em países como os Estados Unidos da América, Japão, China ou Marrocos.


As principais incidências em viagens, segundo dados da InterMundial, costumam estar relacionadas com os gastos médicos. Se a isto somarmos o facto de que a maioria das assistências médicas em viagens internacionais têm um custo superior ao do próprio seguro de viagem, então contratar este tipo de apólices é fundamental.

Muitas das assistências médicas geridas pelo seguro de viagem estão vinculadas a consultas hospitalares tão comuns como a gastroenterite, faringite, fraturas ou traumatismos, casos que, por mais habituais que sejam, geram faturas que podem superar até o custo da própria viagem. Outros contratempos que costumam estar cobertos pelo seguro de assistência médica em viagem internacional são os relacionados com o cancelamento ou interrupção da viagem e os problemas relacionados com a bagagem e voos.


A qualidade da assistência médica no estrangeiro e os gastos que provêm desta dependem em grande parte do país em que nos encontramos. É certo que numa viagem à Europa, durante a assistência médica podemos utilizar o Cartão Europeu de Seguro de Doença, embora este só abranja determinados centros de saúde, excluindo os particulares que são os mais utilizados pelos viajantes, nem inclui a transferência do paciente para o centro de saúde ou o custo do repatriamento, se necessário.

Contratar um seguro de viagem é essencial para a tranquilidade do viajante visto que, por exemplo, existem países onde os gastos que podem supor um dia de ingresso no hospital podem duplicar o custo da viagem total, havendo uma diferença de até 3.000 euros, entre uns e outros.


Quanto custa ir ao médico nos Estados Unidos da América?

O preço de uma simples consulta médica ronda os 100 € e se for com um especialista pode chegar até aos 300 €. Este custo excede muito o preço do seguro de viagem para os EUA durante 15 dias.

Apenas o custo de um dia num hospital dos Estados Unidos ascende a quase 7.000 €. Tudo isto sem ter em conta as intervenções e exames médicos correspondentes. Uma análise ao sangue custa aproximadamente 500 €; um transporte em ambulância, mais de 600 € e uma ressonância magnética, 1.000 €. E se for transportado em helicóptero se, por exemplo, estiver a praticar esqui, só o deslocamento pode custar uns 10.000 €!

Uma incidência médica que pode ocorrer em qualquer viagem é a apendicite, que requer um atendimento médico de urgência e operação imediata, incluindo vários dias de ingresso hospitalar. O preço de toda a assistência médica alcançaria os 50.000 €.

Segundo dados do MNE, a assistência sanitária em países como os Estados Unidos pode chegar a custar mais de 70.000 €. Se falarmos de repatriamento, o preço médio desde os EUA, Canadá ou Caraíbas é de 42.000 €, mas pode superar os 100.000 € se for necessário um avião medicalizado, serviço que está incluído pelos nossos seguros de viagem.


Quanto custa a assistência médica na China?

Segundo dados da InterMundial, o custo de uma consulta nas urgências por dor no peito na China supera os 1.000 €, incluindo análises ao sangue, raio X e ecografia. Uma fratura de ombro supera os 6.000 € incluindo gastos de atendimento sanitário e repatriamento. Faturas de preço similar supõem um ingresso por pneumonia durante uma semana.


Qual é o preço do atendimento médico em Japão?

Os problemas de saúde com menor gravidade durante uma viagem ao Japão têm um custo médio de 400 €, um preço muito superior ao do preço médio do seguro de viagem adequado para visitar o país.

O custo de um caso mais grave que requeira um ingresso de 10 dias na UCI e repatriamento poderá alcançar os 40.000 €.

As assistências de repatriamento são especialmente caras e necessárias também em acidentes desportivos, mesmo que não sejam graves. Em média, o deslocamento de um doente e seu acompanhante até Portugal supera os 15.000 €.


Quanto custa receber assistência sanitária na Tailândia?

A Tailândia é um país onde existem clínicas privadas de qualidade nas principais cidades, no entanto o preço é mais muito mais elevado. Os valores oscilam os 100 € e podem chegar até mais de 10.000 €. No entanto, as faturas hospitalares superiores a 1.000 € são frequentes.


E numa viagem ao Vietname, quanto pode custar o atendimento médico?

O custo médio de ir ao médico no Vietname pode rondar os 150 €, embora existam casos de mais de 3.500 €.

Uma assistência médica muito cara é a intervenção e ingresso hospitalar devido à apendicite, que alcança os 16.000 € sem ter em conta o repatriamento.


Marrocos, Canadá e Austrália são países turísticos onde também sai caro ir ao hospital.

No caso de Marrocos, um ingresso por um AVC pode chegar a custar 5.000 €. No Canadá, o custo médio de um atendimento médico ronda os 400 €, embora existam assistências que superam os 10.000 €. As consultas médicas na Austrália têm um preço médio de 300 €, mas uma queda com danos nas costas e repatriamento pode custar até 7.000 €.

Saber o quanto pode custar uma assistência médica no estrangeiro de qualidade é importante. Viajar com um bom seguro de viagem não é uma opção, é praticamente uma obrigação. Atenção que existem países onde o seguro de viagem é mesmo obrigatório.


O que cobre um seguro de assistência médica em viagem internacional?

Um seguro de viagem como os da gama Totaltravel, contratado antes da partida, cobre o custo da assistência médica no estrangeiro. Ao contactar o serviço de assistência 24 horas, a asseguradora ajudar-lhe-á a acelerar o processo de ter que localizar e ser atendido no centro médico mais indicado ao seu problema de saúde ou tipo de acidente que enfrentou.

Neste sentido, o Totaltravel da InterMundial pode cobrir até 500.000 € em gastos médicos por doença ou acidente e 1.000.000 € em caso de que o assegurado precise de transporte sanitário ou repatriamento. Outros gastos relacionados com a assistência médica que cobre o seguro de viagem são os problemas odontológicos urgentes, o alojamento e o transporte de familiares ou acompanhantes em caso de ingresso hospitalar.

Além dos gastos de assistência médica, os seguros de viagem incluem garantias como a indemnização por acidente, gastos de cancelamento, incidências com a bagagem, atrasos e cancelamento de meios de transporte, responsabilidade civil ou perdas de reservas já feitas.


Outros conselhos para cuidar da sua saúde no estrangeiro.

Antes de iniciar uma viagem convém informar-se sobre a situação sanitária do país que vai visitar. O Ministério de Negócios Estrangeiros, a sua asseguradora, blogs ou fóruns de viagem oferecem este tipo de informação ou as ferramentas para consegui-la.

Além dos documentos exigidos para entrar no país, deverá ter em conta se o destino apresenta ou não riscos sanitários. Devemos sempre realizar a Consulta do Viajante para saber se é necessário levar alguma vacina, conhecer quais são as medidas preventivas, realizar exames médicos e recomendações.

Se pretender contratar umseguro de viagem, é fundamental que se informe previamente sobre o país de destino para poder contratar o seguro que tenha as coberturas mais adequadas ao destino e às atividades que vai realizar.


Com esta informação podemos tomar precauções. Por exemplo, em países tropicais, onde existe um maior risco de infeções, convém consumir água mineral engarrafada ou desinfetada, descascar a fruta, evitar o gelo nas bebidas e levar um repelente de mosquitos. Em lugares onde faça muito calor ou em destinos de praia, deverá beber muitos líquidos, adicionar sal aos alimentos e bebidas para prevenir a desidratação, evitar a exposição solar nas piores horas de calor, usar roupas que cubram os braços e pernas, levar óculos de sol e aplicar protetor solar com um índice de proteção elevado.

É também fundamental ter uma atitude preventiva em relação a acidentes de tráfego caso conduza: obter informação sobre as regras que regulam o tráfego no país de destino, o estados das estradas e conhecer as regras não oficiais, como buzinar ou acender os piscas antes de ultrapassar. Ter claro em que sentido deverá conduzir, usar sempre o cinto de segurança (mesmo que não seja obrigatório no país de destino) e conhecer os limites de velocidade são outras medidas de prevenção necessárias que deverá adotar.