content.imagen_cabecera.alt

7 pontos para diferenciar um bom seguro de viagem

Com a ampla oferta de seguros de viagem que existe no mercado, às vezes não é fácil escolher o que melhor se adapta às nossas necessidades. Em muitas ocasiões, os viajantes preferem uma opção ou outra, tomando como critério o preço da apólice, entendendo que um preço mais alto lhes vai garantir uma maior proteção mas isso não é, necessariamente, certo. A partir dos seguintes pontos será capaz de diferenciar um bom seguro de viagem e ter critérios objetivos para acertar sempre na sua escolha. 


1. Que inclua o máximo de coberturas no seguro base

Quanto mais coberturas de base um seguro de viagem incluir, mais completo e competitivo economicament e será.

O seguro base é o que inclui as coberturas mínimas, que podem ser melhoradas graças às ampliações. Por isso, quanto mais coberturas de base incluir um seguro de viagem, mais completo e competitivo economicamente será. Para tal, além disso, estas coberturas devem contemplar quantias e garantias que sejam suficientes para o proteger perante qualquer incidência. 

Na InterMundial acreditamos que as ampliações de um seguro devem ser concebidas para proporcionar uma melhoria substancial aos segurados, garantindo um produto personalizado a cada viajante, não se destinando a oferecer coberturas que, para nós, são essenciais, como pode ser o cancelamento da viagem. 


2. Que os límites das coberturas sejam elevados

Como explicávamos no ponto anterior, os limites económicos incluídos nas coberturas são essenciais para diferenciar um bom seguro de viagem. Neste sentido, quanto mais elevados forem os limites de uma cobertura, melhor será o seguro. 

Muitas seguradoras não estabelecem limites económicos para algumas das coberturas que oferecem dentro das suas apólices de viagem, comunicando que estas despesas são "ilimitadas". Na InterMundial, para não dar lugar a ambiguidades, incluímos como limite 15.000€ em Multiâssistencia Plus, e incluso en el caso de una repatriación en avión sanitario, uno de los trámites más costosos, raramente se superan los 80.000 € de gastos-.

 

3. Que não tenha fanquias (ou tenha as menos possível)

Um dos aspetos chave que diferenciam um bom seguro é que não tenha franquias.

A franquia é uma percentagem das despesas que o segurado assume quando ocorre um sinistro. Esta despesa tem de estar relacionada com danos diretos em objetos segurados e que estes danos possam ser indemnizados economicamente. Portanto, outro dos aspetos chave que diferenciam um bom seguro é que não tenha franquias. Desta forma, contará com a tranquilidade de que, aconteça o que acontecer durante o trajeto ou a estadia, pagará somente pelo preço do seu seguro.

Por este motivo, nenhum dos seguros de viagem da InterMundial tem incluídas coberturas com franquia em caso de incidência: tão somente se inclui franquia na cobertura de "busca e resgate" para as ampliações ou os seguros desportivos.

 

4. Que contemple o maior número possível de causas de cancelamento

Cada vez antecipamos mais a data da reserva das nossas viagens. Esta antecedência ajuda-nos a obter preços mais competitivos mas, também, diminui a capacidade que temos para prever situações que nos impeçam de iniciar a nossa viagem. 

  Por isso,eé muito importante contar com um seguro de viagem ou um seguro de cancelamento que contemple o maior número de motivos de cancelamento possível. É o caso do nosso seguro cancelamento, que inclui até 28 causas para cancelar a viagem: desde complicações de saúde pessoais ou de um familiar que torne impossível a viagem, até questões relacionadas com o trabalho, como o despedimento laboral, passando pela obrigação de realizar trâmites em organismos oficiais. Este seguro também inclui causas de força maior, como a recomendação oficial de não viajar, os actos de pirataria ou a declaração do destino como zona catastrófica antes do início da viagem.


5. Que contenha ampliaçöes elevadas o poder personalizar ao máximo

A capacidade para personalizar uma apólice é fundamental para reconhecer um bom seguro de viagem. Não basta ter um seguro base com proteção completa, mas que deva existir a possibilidade de ampliar algumas coberturas em função, por exemplo, do tipo de viagem que vamos realizar, do custo da saúde no país de destino ou do valor económico dos artigos que compõem a nossa bagagem.

6. Limite de idade até aos 80 anos

Algumas seguradoras estabelecem sobreprémios a pessoas maiores de 60 anos ou limitam a contratação a maiores de 65 anos.

Em muitos casos, as seguradoras estabelecem sobreprémios a pessoas maiores de 60 anos e, inclusivamente, chegam a limitar a contratação de um seguro de viagem a maiores de 65 anos.

Na InterMundial acreditamos que todos temos direito a desfrutar da viagem e, sobretudo, a fazê-lo segurados. Por isso, pensamos que um bom seguro deve ter limites de idade mais amplos e não ser mais caro para viajantes a partir de uma determinada idade. Por isso, o nosso limite de idade estabelece-se nos 80 anos.

7. Que esteja especializado no tipo de viagem que vai fazer

Porque não é igual ir fazer caminhada no Nepal ou viajar com toda a família, é fundamental que escolha seguros especializados em determinadas áreas para que o protejam ao máximo e tenha, exatamente, as coberturas de que precisa.

Gostaste do artigo? Partilha-o nas tuas redes sociais

Utilizamos cookies para te proporcionar a melhor experiência possível. Mais info.

cerrar